Triagem pré Natal Não Invasiva (NIPT)

O NIPT é o teste identifica DNA fetal livre na circulação materna. Confira mais informações sobre o exame:

Por que o teste é chamado de NIPT?

A sigla vem do inglês, noninvasive prenatal testing, ou teste pré-natal não invasivo.

O teste pode ser solicitado como NIPT mesmo?

Sim. Outra possibilidade é pedir como identificação de aneuploidias fetais no sangue materno ou, ainda, com os nomes dos testes comerciais das respectivas empresas. 

Como é obtido o resultado do teste?

O teste identifica DNA fetal livre na circulação materna. A maioria desse DNA fetal livre vem da placenta e a menor parte, do feto. Dessa forma, fragmentos de DNA fetal livre são analisados por sequenciamento, com posterior quantificação das frações de DNA dos cromossomos examinados em relação a um padrão. Um algoritmo de bioinformática é usado para a liberação do resultado.

Que síndromes são avaliadas no NIPT?

São avaliadas a trissomia do cromossomo 21 (síndrome de Down), a trissomia do 18 (síndrome de Edwards), a trissomia do 13 (síndrome de Patau) e as alterações dos cromossomos sexuais: monossomia do X (síndrome de Turner), XXY (síndrome de Klinefelter), XXX e XYY.

É possível coletar o exame com 9 semanas de gestação?

A idade gestacional da coleta do NIPT deve ser sempre a partir de 10 semanas. Antes disso, a fração fetal é baixa e, portanto, há maior chance de falha do teste e maior risco de necessidade de recoleta. Como a fração fetal aumenta com a idade gestacional, independentemente da técnica utilizada pelo teste, antes de 10 semanas seu teor sempre será baixo. Por outro lado, não há limite superior de idade gestacional para a coleta do exame.